O LADRAR DO MERDOCK

Clicar na imagem de Algarve Ontem
(em cima)


Não se assustem com o ladrar do Merdock.
Ele só embirra com polícias, guardas fiscais,
guardas republicanos e outras fardas!...



segunda-feira, 25 de junho de 2007

-
Na página anterior fizemos referência à malfadada licença de isqueiro e ao famigerado bilhete de gare.
Em relação a este último, cumpre dizer que a obrigatoriedade de comprá-lo para entrar numa gare, para qualquer um se despedir dum amigo ou ajudá-lo a levar as malas, teve repercussões directas relacionadas com o Merdock.
Quando o Vidal, o mentor e melhor amigo do cachorro, rumou a outras paragens para prosseguir os estudos, uma multidão de estudantes do Liceu (e também da Escola!), foi despedir-se dele à estação. E isso deveu-se ao facto de ter sido o Vidal o principal responsável pela manifestação que saiu do Liceu exigindo LIBERDADE para o Merdock. Ninguém esqueceu essa jornada gloriosa em que os moços estudantes afrontaram a autoridade do próprio Estado.
Quando chegaram à estação, romperam pela gare adentro sem adquirir bilhete. Gerou-se grande confusão e alarido, com os funcionários da C.P. a exigir o bilhete e os alunos a gritar eférriás e a apupar os ditos. Ninguém obedeceu. O espírito que presidira à manifestação, prevaleceu. Nada já era do que fora. Nem nestas, nem noutras situações. Os jovens davam um grande passo em frente, em matéria de consciencialização e respectiva contestação aos ditames do Estado Novo. E, como disse Lina Vedes na sua excelente anterior postagem:

VALEU-LHES AS FUGAS ÀS REGRAS!!!!
TODOS OS RAPAZES E RAPARIGAS EXPOSTOS A ESTA EXPERIÊNCIA SAÍRAM
BOAS PESSOAS
Enviar um comentário
Merdock era um cão singular
e deu origem, em Faro,
a uma extraordinária
manifestação de solidariedade
que culminou na sua libertação.
Aqui se relembram
os factos e as personagens
envolvidas.
Veja também o meu blog de poesia