(clicar na imagem) ALGARVE ONTEM

(clicar na imagem) ALGARVE ONTEM
videopoema sobre o Algarve de Ontem e notas etnográficas sobre as actividades da época

O LADRAR DO MERDOCK

Clicar na imagem de Algarve Ontem
(em cima)


Não se assustem com o ladrar do Merdock.
Ele só embirra com polícias, guardas fiscais,
guardas republicanos e outras fardas!...



quinta-feira, 27 de setembro de 2007

3ª EDIÇÃO DE MERDOCK

"O DIGESTIVO"
.
"O APERITIVO" está na mais recente postagem em poesia de Vieira Calado
..
(...) A harmonia da generosidade desprovida, é intemporal, mas terrena. Sofrida, feita de paixão, humana.
Porventura, um dia, haverá outros câes a ostentar garbosamente o seu nome, o seu símbolo de liberdade.
-
No dia seguinte, tudo voltaria à rasteira normalidade, à paz podre desses dias. Ou assim parecia. O amanhã não será jamais igual ao tacanho e melancólico dia de ontem, se for essa a vontade de todos, ou duns poucos, que seja.
Só muito mais tarde, bem depois dos apaixonados acontecimentos de que aqui deixo um modesto relato, o Merdock entraria no reino do mito e suscitaria a memória do tempo.
E é por isso que a sua história - a sua gesta, propriamente dita -, a partir daqui, deixa de ter sinificado ou interesse, para aqueles que não o conheceram, de perto.
Os seus ossos não repousam em parte alguma, como não repousam em parte alguma os restos de todos os outros câes anónimos, animais menores de todos os tempos, como os homens e mulheres de todas as idades e gerações, que morreram para sempre, sem deixar rasto.
O final da história só diz respeito àqueles (poucos) que verdadeiramente foram seus amigos.
Não a vou contar, porque só a esses interessa o que aconteceu depois. E só esses ainda hoje relembram e recordam estes episódios, com a saudade que se tem daqueles por quem se teve afeição, ou de quem se gostou, na vida...
.
É já no próximo dia 6 de Outubro,
o lançamento da 3ª edição de "Merdock".

Na 1ª edição, o livro foi apresentado na Biblioteca Municipal de Faro.
Na mesa, da esquerda para a direita: Eng. José Nascimento, que escreveu o Prefácio, Professor Vilhena Mesquita, da Universidade do Algarve, Drª Graça Cunha, Bibliotecária, José Valentim Rosado, Governador Civil de Faro, eu próprio e Coronel Vidal Moreira, o "pai", o mentor do cão Merdock.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

CINQUENTENÁRIO - 2004

Esta placa comemorativa do cinquentenário do Merdock,
foi descerrada durante um almoço de confraternização
realizado na cantina do antigo Liceu de Faro,
hoje Escola Secundária João de Deus.
Também aí, foi apresentada a 2ª edição do livro
.
Merdock,
um cão em Faro, anos 50

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Um Merdock inconsolável


Embora na companhia de estudantes
do Liceu,
o Merdock parece um pouco triste.
:
Pudera!
.
Ainda anda com aquele maldito açaime!

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

ESTÁTUA DO CÃO MERDOCK

Não terá havido muitos cães, por esse mundo fora, que tivessem feito jus a uma estátua. Mas o Merdock, não só tem uma estátua, como também descerraram uma placa em sua honra, no Liceu de Faro, em 2004, durante as comemorações do cinquentenário da sua libertação!
A estátua, essa, é feita em pedra rústica, como era a própria condição rústica do cachorro, nascido no campo, e encontra-se no quintal do Vidal, em Lagos, debaixo das árvores, como ele vivera na juventude, antes de ir para Faro, estudar no Liceu.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Aqui se inicia a publicação das plaquetas com a história do Merdock "aos quadradinhos".
,
Merdock era um cão singular
e deu origem, em Faro,
a uma extraordinária
manifestação de solidariedade
que culminou na sua libertação.
Aqui se relembram
os factos e as personagens
envolvidas.
Veja também o meu blog de poesia